DICA: LIVRO

quinta-feira, agosto 06, 2015 0 Comments A+ a-

Então hoje eu vim falar desse livro que eu li a exatos cinco dias atrás e gente, meu Deus, livro maravilhoso.


CLIQUE EM "READ MORE" PARA LER A POSTAGEM COMPLETA



O livro foi escrito pela autora Fabiane Ribeiro. Eu não vou por aqui a sinopse do livro e sim, a minha descrição.
O livro fala sobre a história de uma menina que tem um distúrbio epidérmico muito raro, na qual a camada superficial de sua pele tinha tendência a apresentar elevações, múltiplas e finas, no formato de espinhos e os mesmos haviam uma espécie de muco, produzido pela própria epiderme modificada. Enquanto criança ela não entende muito bem o porque de não ser tocada, mas ela aceita e vive feliz, depois de um tempo tem todo aqueles problemas adolescentes normais que acontecem o tempo todo, só que o dela chega a ser um pouco mais grave devido a sua aparência. Até que um dia ela encontra alguém que a vê com outros olhos, a amou pelo brilho dos olhos e o encontro deles chega a ser muito engraçado e tudo muda na vida dela, completamente!

O livro ele fala sobre tristeza e felicidade, você chora desde a primeira página (sim, eu chorei) até a ultima, porque é um livro realmente tocante, intenso e é a autora expressou muita emoção no que estava escrevendo de uma forma que faz com que nós acredite que estamos vivendo aquilo.
E mostra também que o amor não vive só de aparências, mostra que é possível amar alguém sem ser pela sua aparência ou pelo toque e sim pelo olhar, pelo o que a pessoa tem de mais bonito por dentro.

Assim se você ainda leu (o que eu acho que não, já que o livro foi lançado ainda esse ano) leia!! Você vai chorar e rir, enfim vai amar o livro assim como eu amei.


Gostou? Deixe seu comentário e compartilhe com seu amigo!


Sou fã de músicas e livros, apaixonada por fotografia, pizza já virou rotina, construir uma casa no campo, irei viajar o mundo com uma mochila e a câmera na mão, filme preferido "Um Olhar no Paraíso", amigos pra mim é importante, precioso e agora estou indo embora com meu Impala 67.